Dicas para tirar fotos incríveis do seu Pet!

Se você acessa a internet com frequência, já percebeu que é o paraíso das fotos de gatinhos e de outros pets fofos – e todo mundo adora essas fotos! E quando temos bichinhos fofos em casa, também não cansamos de fotografar, filmar e compartilhar no Facebook e Instagram. Mas como conseguir fotos mais bonitas e com melhor qualidade? Será que basta ter uma câmera melhor ou tem algumas outras dicas que podem ajudar?

Para nos ajudar com esses questionamentos, trouxemos a Larissa Chilanti que, além de hospedar pets através da Pet Anjo, também é formada em medicina veterinária e trabalha profissionalmente com Fotografia Pet na empresa Fotografia Animal. Pois é – você já pensou algum dia que existe uma profissão dedicada e especializada em tirar fotos de animais de estimação?

A Larissa nos conta que sempre gostou de fotografia, e decidiu estudar e se aprofundar na técnica quando passou a viajar com maior frequência. Mas foi a perda da sua cadelinha de estimação que a levou a considerar como uma profissão. “O falecimento da Kika foi decisivo para eu começar a trabalhar com fotografia de animais de estimação: queria muito voltar a trabalhar com animais.

Quando descobri o ramo de fotografia pet, não tive dúvida! Era o que estava faltando e eu poderia fazer como um segundo emprego”, conta. Junto com essa nova profissão, a Larissa trouxe também sua defesa da causa animal e passou a fazer trabalhos voluntários, fotografando animais carentes e incentivando a adoção.

Fizemos algumas perguntas pra Larissa e ela nos trouxe várias dicas pra nos ajudar a melhorar as fotos dos nossos peludos. Confiram abaixo!

Pet Anjo: Quais são os principais fatores que influenciam a qualidade de uma foto, e como podemos favorecer um melhor resultado?

Larissa: Luz, ambiente e foco são muito importantes em qualquer ramo da fotografia e com pets não é diferente. Tente reparar nas características da luz natural ou artificial e também nas sombras. Observe como a luz do sol muda em diferentes horários, em qual direção a luz está incidindo, se as sombras estão bem marcadas ou mais difusas. Com o tempo, você vai aprendendo o que funciona melhor.

Observe os elementos que está utilizando no seu enquadramento e evite elementos que distraiam o olhar – se não merece destaque, retire antes de fotografar! Linhas, formas e texturas, tudo influencia na imagem de alguma maneira. Foco é outro item importantíssimo. Como regra geral, os olhos devem estar bem nítidos.

Se você fotografar de forma automática, na maioria das vezes a câmera vai focar no que está mais próximo – em cães com focinho longo, o focinho estará em foco e os olhos não. Esse é um erro básico que cria uma imagem estranha. Pode não ser um erro se a sua intenção realmente for deixar o foco no nariz e pode funcionar em algumas situações, mas normalmente é por falta de conhecimento.

Pet Anjo: Muita gente acredita que precisa de uma câmera mais cara para conseguir boas fotos. Isso é verdade? Ou é possível conseguir fotos boas com equipamentos mais simples, como câmeras de celulares?

Larissa: É possível conseguir boas fotos com praticamente qualquer equipamento. Porém equipamentos simples tem uma série de limitações. Câmeras de celular têm um sensor pequeno para captar a luz, muitas vezes gerando imagens pouco nítidas ou borradas. Para tentar melhorar as imagens nesse caso, fotografe ao ar livre ou em ambientes com muita luz (próximo a uma grande janela, por exemplo).Um aplicativo de edição de imagens pode ajudar a remover alguma distração e melhorar algumas características como o contraste da imagem.

Mas tenha cuidado para não exagerar! As câmeras de celulares também não costumam ter controles manuais como abertura de diafragma, velocidade do obturador e ISO. Esses elementos são fundamentais quando você planeja uma foto, podendo desfocar o fundo ou congelar um movimento. Meu conselho é tentar melhorar de equipamento aos poucos. Tente comprar uma câmera simples, pode até ser compacta ou usada, mas que tenha um modo manual. Isso é fundamental para se iniciar na fotografia.

Pet Anjo: Agora falando mais especificamente à fotografia de pets e ao comportamento deles – como arrumar a posição do pet (fazê-lo “posar” pra foto) e o que pode ajudar a garantir uma foto mais interessante?

Larissa: A maioria das pessoas pergunta se é possível fotografar animais que não foram treinados, pois acreditam que eles não vão posar para a foto. Nós que estamos fotografando devemos ter muita paciência e saber trabalhar com cada animal. Se o ele souber sentar e ficar, ótimo, mas se não sabe, tentamos chamar a atenção dele.

Não insista muito em colocar o animal em uma posição que ele não quer ficar. Se ele está deitado e cansado, fotografe-o assim. Se está querendo brincar, vai ser difícil fazer ele deitar. Perceba o comportamento dele e aproveite para tentar captar isso. Outra dica é fotografar no mesmo nível deles. Estamos acostumados a ver os animais de cima para baixo e tiramos fotos da mesma forma. Mude um pouco: abaixe-se, deite no chão ou eleve os animais, colocando-os em um banco.

Pet Anjo: Existe muita diferença entre fotografar cachorros ou gatos, por exemplo? Como conseguir fotos boas mesmo trabalhando com espécies diferentes, ou até pets mais exóticos?

Larissa: É importante conhecer as particularidades de cada animal – existe muita diferença entre raças e até indivíduos, pois cada animal tem um comportamento, assim como nós temos a nossa personalidade. Normalmente cães são mais agitados e receptivos do que gatos. Para quem não conhece, pode ter problemas para fotografar gatos, pois alguns tentam se esconder constantemente.

É mais fácil chamar a atenção de cães e gatos com petiscos ou um brinquedo preferido: para cães, normalmente é uma bola ou brinquedo com apito; para gatos, um brinquedo de corda ou uma varinha. Você também pode fazer barulhos como imitar um latido, quase sempre o resultado é uma expressão de alerta. Para exóticos, o princípio é o mesmo.

Pet Anjo: Tenho certeza que depois de ler essa conversa, muita gente vai querer começar a trabalhar com fotografia de pets! Que conselhos você daria pra quem se interessar por esse ramo?

Larissa: Estude a técnica fotográfica – pode ser através de cursos presenciais ou online, livros, blogs de fotografia… hoje você pode encontrar de tudo na internet, só é preciso saber procurar e selecionar o conteúdo. Conforme for aprendendo, revise constantemente as suas fotos antigas.

Se você já tem noção dos conhecimentos básicos, comece a fotografar os pets da família e dos amigos, assim você vai montando um portfólio e pegando a prática. A pós-produção, que é o tratamento das imagens, também é muito importante para um resultado profissional: assim como na fotografia com filme, a imagem digital também precisa ser “revelada” para chegar ao resultado que queremos.


E aí, o que achou? Com essas dicas já dá pra pôr a mão na massa e tirar fotos mais bonitas dos peludos, não é? Comenta aqui embaixo o que achou das dicas da Larissa, e não deixa de conferir um pouco mais sobre ela:

Sobre a Anjo – Larissa Chilanti

“Tenho 26 anos e sou formada em medicina veterinária. Trabalhei na área, mas hoje não exerço a profissão, pois passei em um concurso público. Sou vegetariana e defensora da causa animal. Já tive muitos cachorros, quase todos adotados. A última cadela que adotei, a Kika, foi uma das maiores alegrias da minha vida. Sou apaixonada por Yoga e atividades ao ar livre, especialmente o trekking. Poderia passar a vida caminhando com uma mochila nas costas. =) Também tenho um blog de viagens com meu marido onde damos muitas dicas de aventuras. Conheci a Pet Anjo e adorei a ideia da hospedagem familiar. Hoje posso conviver um pouco mais com os animais através da hospedagem.”

A Larissa oferece o serviço de hospedagem domiciliar através da Pet Anjo na cidade do Rio de Janeiro.

Comente com Facebook