Posso levar o meu gato ou cachorro no avião?

Hoje em dia é cada vez mais comum os tutores de pets quererem estar sempre com seu amigo peludo. Inclusive levar seu cachorro ou gato para viagens de avião, as vezes até para outros continentes. Mas com tanta coisa para programar antes da viagem e, infelizmente, pouca informação sobre como viajar com os pets, a maioria dos tutores fica perdido nesse momento.

Para ajudar a tornar esse momento menos desafiador, montamos um manual com os passos necessários e dúvidas comuns na hora de levar o cachorro ou gato no avião com você.

1 – Pesquise

Você sempre viajou muito e nunca teve que se preocupar com nada além de carregar a bateria da câmera para não ficar sem fotos da viagem e, depois que pegou o seu cachorro, parou de viajar por não saber como viajar com ele? Pois é, não é nada fácil preparar uma viagem para a família, quem dirá uma família com um membro de 4 patas.

Se você já pesquisou sobre isso, viu que é preciso cuidar de mil detalhes que, por mais mínimos que pareçam, causarão uma enorme dor de cabeça para todos os envolvidos caso algum não seja apresentado. Por isso, fique de olho nas regras e nas dicas que lhe daremos neste artigo, pois qualquer detalhezinho que passe despercebido pode mandar toda a sua viagem por água abaixo.

Alguns países da Europa não permitem a entrada de animais de estimação sem quarentena. Porém, a grande maioria das companhias só exige que o cachorro esteja com a carteira de vacinação, seja microchipado, e que você esteja com o atestado de saúde do veterinário e todos os outros documentos requeridos por cada companhia aérea.

Se você tem um melhor amiguinho que, somando o peso da caixa de transporte, tem até 10kgs, aproveite para levá-lo com você na cabine. Isso o deixará um pouco menos estressado.

Se você tem um melhor amiguinho que, somando o peso da caixa de transporte, tem até 10kgs, aproveite para levá-lo com você na cabine. Isso o deixará um pouco menos estressado.

É importante lembrar que a maioria das companhias aéreas não transporta raças braquicefálicas (de focinho curto, como os Pugs, Bulldogs, etc) por causa de esses animais terem risco de sofrerem  problemas respiratórios durante os voos – apesar de que no Brasil, a TAM aceita todas as raças
Outra dica é não deixar para conferir as regras gerais para entrada de animais para o país do destino na última hora. Geralmente, essas especificações podem demorar e você pode acabar até perdendo a viagem. Por exemplo, para viajar à União Europeia, o animal precisa ter microchip eletrônico, e lugares como o Reino Unido, Irlanda e Suécia, impõem condições sanitárias adicionais.

 

Você sabia que se o seu melhor amigo fizer parte da categoria peso pena, até 10kgs, ele pode viajar com você na cabine? Pois é, parece até sonho, né? Portanto, não se esqueça de reservar com muita antecedência de levar o cachorro no avião com você, as vagas para animais na cabine são pouquíssimas, questão de 3 por voo, mas algumas companhias internacionais, como a American Airlines, aceitam até 7, sendo 2 na primeira classe e 5 na classe econômica.

O principal determinante que decide se o pet viajará na cabine com o tutor ou no compartimento de carga são as dimensões e o peso da caixa de transporte (falaremos mais sobre elas no decorrer do artigo, fique atento).

Dica: Para não ser pego de surpresa e correr o risco de não poder viajar, procure, com um bom tempo de antecedência, consultar as embaixadas dos países de origem e de destino para saber quais documentos são necessários. Assim você pode embarcar seu pet com segurança e tranquilidade.

 

Documentação necessária

Como seria feito com um passageiro normal, é necessário que você apresente alguns documentos na hora de levar o cachorro no avião com você. Esses documentos são para garantir que o seu pet esteja saudável para viajar e, assim, não ameaçar a segurança dele.

Voos Nacionais:

  • Certificação de vacina antirrábica: certificado dizendo que o cachorro tomou a vacina antirrábica para animais com mais de quatro meses de idade, em que tenha:

* O nome do laboratório produtor;
* O tipo da vacina;
* O número da ampola utilizada.
ATENÇÃO: Essa vacina precisa ser aplicada com antecedência, menos de um ano e mais de um mês antes do embarque.

 

  • Certificado de inspeção sanitária: para embarcar seu cachorro no avião, ele deve estar acompanhado de um atestado sanitário, emitido por médico veterinário devidamente registrado no CRMV da Unidade Federativa de origem dos animais e do Certificado de Vacinação Antirrábica. Nesse certificado deve constar que o animal está em boas condições de saúde e apto para viajar de avião.
    ATENÇÃO: esses certificados devem conter uma série de informações, como:

*Raça;
* Nome;
* Origem (pedigree, se houver);
* Estado geral;
* Nome do proprietário (qualificação completa).E devem ser emitidos com certa antecedência antes da viagem:* 72 horas (Atestado Sanitário – validade expressa no rodapé do próprio documento);* 01 ano (da data de vacinação – exigida para cães e gatos acima de 3 meses de idade).

 

  • Viagens para Fernando de Noronha: para viagens pra Fernando de Noronha, é necessária a autorização de entrada de animais na ilha. Que você pode pedir pela Secretaria de Meio Ambiente e Turismo de Fernando de Noronha pelo telefone (81) 3182-8300.

 

Tenha a certeza de deixar seu pet identificado e bem trancado!

Tenha a certeza de deixar seu pet identificado e bem trancado!

Voos Internacionais:

  • Certificação de vacina antirrábica: certificado dizendo que o cachorro tomou a vacina antirrábica para animais com mais de quatro meses de idade, em que tenha:

* O nome do laboratório produtor;
* O tipo da vacina;
* O número da ampola utilizada.
 ATENÇÃO: Essa vacina precisa ser aplicada com antecedência, menos de um ano e mais de um mês antes do embarque.

 

  • Certificado de inspeção sanitária: para embarcar seu cachorro no avião, ele deve estar acompanhado de um atestado sanitário, emitido por médico veterinário devidamente registrado no CRMV da Unidade Federativa de origem dos animais e do Certificado de Vacinação Antirrábica. Nesse certificado deve constar que o animal está em boas condições de saúde e apto para viajar de avião.
    ATENÇÃO: esses certificados devem conter uma série de informações, como:

*Raça;
* Nome;
* Origem (pedigree, se houver);
* Estado geral;
* Nome do proprietário (qualificação completa).

E devem ser emitidos com certa antecedência antes da viagem:

* 72 horas (Atestado Sanitário – validade expressa no rodapé do próprio documento);

* 01 ano (da data de vacinação – exigida para cães e gatos acima de 3 meses de idade).

 

  • Certificado zoosanitário internacional: o Certificado Zoosanitário Internacional (CZI), é emitido pelo Ministério da Agricultura, nos aeroportos internacionais. Para ter o certificado, o tutor deve:

* Agendar uma consulta com o médico veterinário do Ministério da Agricultura, que fica nos aeroportos internacionais.

Para viagens fora do país, não se esqueça de se informar no consulado do país de destino sobre as exigências para a entrada do animal. Alguns países aceitam apenas o atestado do      Ministério da Agricultura, já outros exigem um visto consular para a entrada do animal.

 

  • Exame sorológico para países europeus: países da Europa (a grande maioria) exigem que o cachorro faça um exame sorológico a fim de confirmar que ele tomou a vacina antirrábica no prazo estipulado para viagens de avião (3 meses antes da viagem)

 

  • Carteira de vacinação atualizada: a carteirinha de vacinação deve estar sempre atualizada e deve ser assinada pelo médico veterinário do seu pet. SEMPRE contendo:

* Comprovante da vacina antirrábica, que é obrigatória para animais com mais de 90 dias e deve ter sido aplicada há mais de 30 dias e há menos de um ano da data marcada para a viagem.

 

Seu pet é como você, ele precisa ter os documentos em dia para viajar de avião!

Seu pet é como você, ele precisa ter os documentos em dia para viajar de avião!

 NUNCA se esqueça da caixa de transporte!

Na hora que for reservar suas passagens aéreas, não se esqueça de verificar com a sua agência de viagens a disponibilidade para viajar com animais. Algumas empresas costumam cobrar taxas extras, já outras disponibilizam vagas apenas para os passageiros que fizerem uma reserva antecipada – e mesmo assim, as vagas são super limitadas.
Para levar o seu cachorro no avião, ele deve ter mais de quatro meses de idade e ser levado em um kennel (caixa de transporte), que você pode achar facilmente em pet shops, de diversos tamanhos, modelos e materiais. Essa caixa de transporte deve ter espaço suficiente para o animal dar uma volta completa em torno de si, ser de material firme, liso e impermeável. A embalagem deve estar identificada com nome, endereço e telefone do cliente.

Entendemos como pode ser complicado entender todas as exigências para poder levar o nosso cachorro no avião junto com a gente. Por isso juntamos abaixo as especificações sobre a caixa de transporte onde o cachorro deverá ser levado:

A caixa de transporte do seu cachorro deve:

      • Ser de fibra ou plástico duro, um material que resista aos danos provocados pelo peso de outras cargas que serão transportadas juntas com o seu pet;
      • Impedir a saída do animal;
      • Ser de um tamanho que seja equivalente ao do animal, permitindo que ele viaje confortavelmente, fique de pé, se movimente em 360° e que não o machuque;
      • Ter pequenas aberturas laterais que garantam a circulação de ar, para que o animal respire, mas que, ao mesmo tempo garanta a entrada de ar, ofereça segurança ao operador que carregará o pet, para que ele não tenha risco nenhum de ser atacado;
      • Ter fechos que evitem uma abertura acidental, interna e externamente;
      • Ter um piso interno revestido e que não vaze, que absorva a urina e as fezes do animal;
      • Permitir vários embarques;
      • Ser identificada com o nome, endereço e telefone do tutor do pet;
      • Ser providenciada pelo tutor;
      • Estar totalmente limpa, desinfetada e esterilizada, evitando doenças ao seu pet e a todos que tiverem contato com ele.

Antes de viajar, acostume seu cachorro com a caixa

     Na maioria das companhias aéreas, o cachorro vai dentro da caixa de transporte e ficará no compartimento de bagagens do avião. Se o cachorro já estiver acostumado a utilizá-la, desde filhote, a viagem será muito mais tranquila.

Imagine o problemão que vai ser se o seu cachorro ficar com medo de estar preso na caixa e começar a latir. Provavelmente isso vai acarretar uma série de latidos e vai gerar um caos. E, além disso, o seu cachorro passará por muito muito muito estresse e medo.

Instruções para acostumar o pet com a caixa de transporte:

  1. Apresente a caixa de transporte para o seu cachorro aos poucos. Coloque um petisco ou um brinquedo dentro da caixa e espere que ele demonstre interesse. Não force e não feche a porta atrás dele – isso só causará espanto. Assim que o cachorro estiver na caixa, parabenize-o com elogios “muito bem!” “gostei de ver!”. O truque é fazer com que o cão
    cachorro no avião

    Nunca tente levar o seu cachorro para viajar de avião sem antes acostumá-lo com a caixa de transporte!!

    associe a caixa com recompensas agradáveis, como elogios e carinho.

  2. Faça com que o cachorro se acostume a ficar por um tempo na caixa. Feche-o  por breves períodos no início, aumentando dia a dia o tempo de permanência. Para a primeira semana de treinamento com a caixa, fique perto da grade para que o seu cachorro saiba que está lá e não se desespere. Se colocar o cachorro na caixa e em seguida sair, ele pode começar a associar a caixa com a separação e começar a ter receio de entrar nela na próxima vez.
  3. Comece o processo de separação de vocês colocando o cachorro na caixa e saindo da sala por pouco tempo, sempre retornando rapidamente. Esse tempinho que você ficar fora, vai ajudar o cachorro a entender que você sempre irá voltar.
  4. Reforce o comportamento calmo. Se o cachorro começar a latir, choramingar ou rosnar, não retorne. Só volte quando ele permanecer calmo por um tempinho.
  5. Aumente o período de tempo que deixará seu cachorro na caixa. O objetivo é garantir que ele permaneça na caixa por mais tempo que sua ausência cotidiana, por exemplo, a sua agenda do  trabalho. Depois, poderá deixar seu cachorro na caixa com a segurança de que ele poderá lidar com essa quantidade de tempo ali dentro. Se posicionar a caixa longe da porta da frente, seu cachorro não perceberá que deixou a casa.

 

 

 

Uso de sedativos

O uso de sedativos não é necessário, a não ser que o animal seja considerado feroz.

Um medicamento muito comum que é indicado para enjoos e, muitas vezes, usado sem moderação, é o Dramin. Apesar de causar sono na grande maioria das pessoas, esse medicamento pode não apresentar o mesmo efeito nos pets. Se você precisa viajar com o seu cachorro, procure formas mais adequadas e seguras de resolver a situação sem colocá-lo em risco!

Alguns medicamentos usados para quando você tem enjoo viajando, podem ser usados no seu cachorro também, mas as doses, a frequência e condições de uso são diferentes.  Sedar ou anestesiar seu pet cabe ao, e somente ao, seu veterinário de confiança. N U N C A tente ministrar essas drogas sozinho, sem supervisão ou indicação, você pode colocar seu pet em risco sem nem estar sabendo. E sempre consulte um médico veterinário se você tiver alguma dúvida em relação ao assunto.

Vai viajar com qual companhia?

Sabemos que, assim como humanos e pets, as companhias aéreas são bem diferentes e oferecem serviços bem distintos.

Por isso, para te ajudara separar tudo sem mais estresse e correria, nós listamos abaixo as companhias aéreas mais utilizadas e suas exigências. Vamos lá?!

Viagens no Brasil:

*Taxa de transporte: por trecho, R$90 + (peso da caixa de transporte e do animal multiplicado por 0,5% da tarifa cheia).

*Transporte na cabine: Peso máximo 10 kg (animal + caixa de transportes).

Viagens Internacionais:

*Taxa de transporte: U$50 + excesso de bagagem + impostos para destinos.
*Transporte na cabine: permitido somente na classe Executiva e Econômica (exceto Londres). A TAM não permite o embarque de pets na primeira classe .

*Peso máximo para transporte na cabine: 10 kg (animal + caixa).
*Importante lembrar: voos para o  Peru têm uma taxa de 19% sobre o valor total das cobranças de transporte de animais e excesso de bagagem.

 

            Viagens em geral:

*Taxa de transporte: R$90 por trecho + (peso da caixa e do seu pet multiplicado por 1% da tarifa cheia).
*Transporte na cabine: a Gol não deixa você levar seu pet na cabine, a não ser que ele seja um animal de serviço (cão-guia, por exemplo).
*Transporte como bagagem despachada: 30kg no máximo (sempre somando o pet + caixa de transporte).
*Volume máximo do da caixa: 86cm (A) x 122cm (L) x 135 (C).
*Limite: só são aceitos até dois animais por voo (a menos que sejam filhotes da mesma ninhada de pequeno porte e que sejam do mesmo tutor).

 

              Viagens em geral:

*Taxa de transporte: R$100 por trecho.
*Transporte na cabine: são permitidos até 3 animais domésticos por voo.
*Peso máximo: 5kg (animal + caixa).
*Volume máximo do kennel: 43 cm (C) x 31,5 cm (L) x 20 cm (A).

 

              Viagens em geral:

*Taxa de transporte: peso do animal + peso da caixa x 0,5% da tarifa máxima do trecho do voo (exceto ao cão-guia, ele é isento de taxas).
*Transporte na cabine: somente cães e gatos de até 5 kg.
*Volume máximo: 26 cm (A) x 26 (L) x 40 cm (C).
*Limite: só é permitido 1 pet por voo e com, no mínimo, 8 semanas de idade.

 

Cachorros em serviço, como os cães-guia, têm acesso livre a cabine e podem ficar perto dos seus tutores, mas eles precisam dos mesmos comprovantes veterinários exigidos para cães normais.

Cachorros em serviço, como os cães-guia, têm acesso livre a cabine e podem ficar perto dos seus tutores, mas eles precisam dos mesmos comprovantes veterinários exigidos para cães normais.

 

 

                Viagens em geral:

*Taxa de transporte:

  • voos dentro da Europa: €75.
  • Outros destinos: €200 saindo da Europa
  • Saindo do Canadá: 200 dólares canadenses
  • Saindo dos EUA e outros destinos: U$20

*Transporte na cabine: cães e gatos com menos de 6kg (exceto cães-guia, eles podem embarcar na cabine sem limite de peso).
*Caixa de transporte: só são aceitas as caixas tipo concha (aquela que abre por cima), em plástico rígido ou fibra de vidro.

 

               Viagens em geral:

*Taxa de transporte: saindo do Brasil na cabine ou porão: U$200 (exceto o cão-guia, ele é livre)
*Transporte na cabine: permitido na maioria dos voos, porém com algumas regras:

  • Dentro da Europa: animais são permitidos na cabine de classe econômica e na classe executiva
  • Voos intercontinentais: não é permitido na cabine de classe executiva

*Peso máximo:

  • Na cabine: 6 kg (animal + caixa).
  • No porão: 75 kg.

*Volume máximo na cabine: animais de estimação até 20 cm.
* Extra: serviço não disponível em algumas rotas específicas e determinadas pela KLM.

 

      Viagens em geral:

* Taxa de transporte: U$150 por caixa de transporte (tanto para voos saindo, quanto para voos chegando, no Brasil).
* Transporte na cabine: Não é permitido para voos saindo do Brasil.
* Peso máximo: 9.10kg (pet + caixa).
* Volume máximo: 101.6 cm (C) x 68.58 cm (L) x 76.2 cm (A).
* Limite: só são aceitos até 7 animais por voo (com, no mínimo, 2 meses de idade).

 

Viagens em geral:

*Transporte na cabine: somente animais de assistência.

 

Observação: as informações apresentadas nesse artigo não substituem a consulta a companhia aérea no momento da sua viagem. As regras, documentos necessários e outros detalhes podem mudar a qualquer momento. Não nos responsabilizamos por quaisquer alterações.

 

 

Não quer causar estresse ao seu pet?

Ufa, quanta coisa é necessária para viajar com o pet! Realmente, ser tutor de pet não é nada fácil, mil detalhes para serem ajeitados…e tudo isso somado ao seu próprio estresse pré viagem. 

Por sabermos que tutores de pets se preocupam muito com os seus melhores amiguinhos (ou amigões), nós da Pet Anjo disponibilizamos o serviço de Hospedagem Familiar.

Clientes satisfeitos e seguros: nosso maior prêmio! <3

Clientes satisfeitos e seguros: nosso maior prêmio! <3

 

 

O serviço de Hospedagem Familiar oferecido pelos Anjos da Pet Anjo não é, de maneira alguma, um serviço de hotelzinho comum ou uma creche. Na nossa hospedagem o seu pet fica com a família dos Anjos, como se ele estivesse em casa, com movimentação, brincadeiras, atenção e, principalmente, carinho o tempo todo!

Todos os nossos Anjos foram treinados e formados por um curso feito pela nossa fundadora, a Médica Veterinária Carolina rocha, com base nos seus dois certificados internacionais de pet sitter e dog walker (sim, isso existe e nós somos a única empresa do Brasil todo que tem eles!). Eles foram treinados para, além de prevenir o enorme estresse do seu cachorro na hora de você viajar e deixá-lo em um hotelzinho ou fazê-lo entrar em um avião a milhares de pés acima da terra, oferecer todo o carinho, cuidado que o seu pet precisa e merece.

O serviço de Hospedagem Familiar da Pet Anjo, além de hospedar o pet…

  • administra a sua alimentação de acordo com a dieta prescrita pelo tutor (bem como os horários do pet comer);
  • realiza a limpeza e troca da água do pet;
  • realiza a limpeza do cantinho de xixi e cocô, caixa de areia, gaiola ou terrário;
  • faz brincadeiras e  incentiva enriquecimento ambiental (temos um ebook super legal sobre esse assunto, se quiser saber mais, é só clicar nele 😉 );
  • realiza passeios diários para cães;
  • faz a escovação dos pelos (nós achamos que os nossos Anjos aproveitam para tirar uma casquinha e encher o seu pet de carinho, mas isso é só uma suspeita! :D);
  • faz a administração e dosagem de medicamentos, casos eu pet precise.
Comente com Facebook