Sobre guias retráteis para cães…

Você acha que está comprando uma guia que irá dar liberdade para o seu cão, porém alguma vez já imaginou os riscos relacionados às guias retráteis para cães? E não apenas para seu cão, mas para si próprio, para indivíduos que estão caminhando ao seu redor e para crianças? Existem diversos relatos de pessoas que tiveram mãos e pernas feridas em uma fração de segundos devido a essas guias retráteis para cães.

** Artigo escrito pela EQUIPE Carolina Rocha – especialista em comportamento animal. Ao reproduzir parte do conteúdo, cite a fonte. Plágio é crime! **

Captura de Tela 2013-10-21 às 11.09.08

Por causa da extensão da guia e dos movimentos do cão, acidentes podem ocorrer com o proprietário ou com alguma pessoa que esteja caminhando na rua, e de modo muito rápido e inesperado, como: cortes, queimaduras, lacerações, e amputações de dedo (devido o estrangulamento destes).

Em casos em que o cão se assusta ou decide correr, instintivamente as pessoas tentam controlar os animais pelo cordão da guia. Podem então ocorrer cortes e queimaduras, além da possibilidade do cordão arrebentar e acertar olhos, quebrar dentes, acertar em alguma parte do corpo provocando uma ferida ou até mesmo provocando a queda das pessoas. Utilizamos a palavra cordão, porém, mesmo as guias retráteis em forma de fita apresentam os mesmos riscos.

Pensando na segurança do seu animal, podem ocorrer cortes, feridas e até a amputação de patas ou da cauda. Além disso, se o proprietário  perder o controle da guia ou ela arrebentar seu cão poderá se perder e, uma vez livre, podem ocorrer acidentes com carros, bicicletas, pessoas e outros cães.

Quanto ao lado comportamental, estas guias também não são recomendadas. Cães precisam de previsibilidade e controle em seu mundo (dois fatores importantes para avaliação do estresse de um animal é o controle que o animal possui sobre a situação e a previsibilidade do ambiente, ou seja, dos estímulos presentes).

Estas guias porém, propiciam uma enorme imprevisibilidade ao cão já que, por variar sua distância, criam “puxões” e limites de distância que ele pode caminhar muito variáveis, ou seja, imprevisíveis. Imagine-se como um cão: as vezes posso andar 4 metros e não recebo um puxão por ter chegado ao fim da coleira, mas as vezes com apenas 1,5m de distância já recebo um puxão e sou impedido de andar mais ou farejar algo. O animal nunca saberá o que é esperado dele e o quanto pode caminhar! Além disso, o animal não possui qualquer controle sobre o quanto pode se distanciar.

Portanto não recomendamos o uso de guias retráteis para cães e indicamos fortemente que utilize guias normais, que mantenham sempre a mesma distância livre para seu cão passear!
** Artigo escrito pela EQUIPE Carolina Rocha – especialista em comportamento animal. Ao reproduzir parte do conteúdo, cite a fonte. Plágio é crime! **


Temos uma equipe pronta para te ajudar, nos conte mais sobre o seu pet 🐶🐱

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Seu telefone

 Dog Walker (Passeio) Pet Sitter (Visita) Hospedagem familiar

Nos conte mais sobre seu peludo

Comente com Facebook
0 Comments

Leave a Comment