Cachorros e gatos trocam os dentes?

Quando o filhote tem cerca de três semanas de vida, os dentes de leite já começam a aparecer. Esses dentes nascem no período em que o filhote pára de mamar na mãe, e começa a se alimentar sozinho.

Então, desde quando o filhote faz 3 meses, até o 7o mês de vida, os dentes de leite começam a cair, e nascem os dentes permanentes. Enquanto os dentes de leite são bem afiados e ponteagudos (quem tem filhote, sabe do que eu estou falando, mordida ‘dóóói’), os dentes permanentes são mais grossos e arredondados. 

A fase de troca dos dentes pode variar de acordo com a raça e o porte do pet, mas normalmente com 7 meses de vida, o cão já tem a dentição permanente completa. (Por isso verificar os dentes do cão auxilia a identificar a idade aproximada do cão, em casos de adoção e resgate).

As vezes o tutor nem percebe que esse processo está ocorrendo, a não ser que encontre algum dente de leite (ou dentes) pela casa. (Em geral os cães acabam engolindo os dentes durante a alimentação sem nem perceberem (nem fazer mal para o cão).

Alguns cães, porém, apresentam mudanças de comportamento e até falta de apetite nesta fase de troca dos dentes devido à coceira, sensibilidade e até dor. É comum, por exemplo, os tutores perceberem que o cão rejeita alimentos duros e morde móveis da casa (pés de cadeiras, mesas…) <tutores aaaaadoram isso>.

Em alguns casos, além desses comportamento diferentes, os cães podem ter febre, inflamação na gengiva, mau hálito e sangramento gengival. Caso o cão apresente sinais mais agudos, como estes últimos, é importante leva-lo ao veterinário para aliviar o desconforto e avaliar se está tudo bem. Mas, por tratar-se de uma fase natural, geralmente, não é necessário nenhum tratamento mais específico.

Mesmo sendo um processo natural, os tutores podem tomar algumas medidas simples para ajudar o pet a passar por essa fase da troca dos dentes mais tranquilamente (e para não ter os móveis da casa destruídos):

  • O tutor pode oferecer brinquedos macios, de tecido ou plástico macio, semelhantes aos mordedores que os bebês usam para aliviar o desconforto na boca. Com os brinquedos, o cão ficará entretido/ocupado, e também vai sentir alívio da coceira na gengiva. É fácil encontrar esse tipo de brinquedo em pet shops, e retire o brinquedo de casa se cortar em pedaços, soltar fio, etc.
  • Deve evitar brincadeiras de cabo de guerra ou com brinquedos duros, que forçam e machucam a boca do pet nesse período sensível.
  • Se o pet for alimentado com ração, o tutor pode bater a ração no liquidificador ou processador de alimentos para ficar em pó, e mais fácil para o cão comer. Ou também misturar com água (ou melhor ainda: caldo de carne/frango, que é super cheiroso e palatável, incentivando ele a se alimentar).

Dúvidas comuns:

  • É preciso escovar os dentes dos cães? Desde o período em que os cães ainda têm dentes de leite, é importante acostuma-los a ter os dentes escovados em casa (ir adaptando gradativamente e com muita voz fofinha e petiscos gostosos). Escovar os dentes 2 vezes por semana é muito bom, mas tem que ser no mínimo 1 vez por mês. Esse cuidado ajuda a evitar o acúmulo de tártaro e também a evitar a perda precoce dos dentes. Alguns cães não gostam muito da escova, nesse caso pode usar uma fase ou algodão no dedo. Existem brinquedos que também ajudam muito a manter a saúde oral.
  • E se os dentes de leite do meu cachorro não caírem? Em alguns casos, a troca dos dentes não ocorre completamente, e o animal fica com dentição dupla (os dentes de leite e também os dentes definitivos). Isso acontece mais comumente em cães de raças pequenas, como das raças maltês, yorkshire, lhasa apso, etc. Nessas situações, pode haver o desvio da mordedura, então é importante levar o cão ao médico veterinário para a extração dos dentes de leite o quanto antes.
Comente com Facebook