Por mais que o esperado seja não ter que passar por essa situação, saber os procedimentos de primeiros socorros para cães e gatos é essencial.

Isso porque, alguns acidentes e ocorrências são inevitáveis. Portanto, se um cão ou gato está em situação de risco, é importante que as pessoas presentes na ocorrência estejam preparadas para realizar procedimentos rápidos e que podem salvar a vida do animal.

Além disso, as práticas de primeiros socorros para cães e gatos podem ser realizadas por qualquer pessoa, desde que tenham conhecimento teórico e prático.

E, em alguns casos, para realizar os procedimentos, é fundamental ter um kit de primeiros socorros, com materiais e itens básicos que auxiliarão no atendimento ao animal.

O que é primeiro socorros de animais de estimação?

A expressão primeiros socorros é usada para descrever uma série de procedimentos que são aplicados com o objetivo de assegurar a vida em risco iminente e em situações de urgência e/ou emergência.

Assim como o nome menciona, os primeiros socorros são caracterizados por procedimentos de emergência que devem ser aplicados em situações de risco de vida para manter os sinais vitais até receber o atendimento médico-veterinário.

As ocorrências envolvendo o seu animal de estimação podem parecer algo distante da realidade, mas tem chance de acontecer a qualquer momento. Como por exemplo:

– Fraturas;

– Queimaduras;

– Atropelamento;

– Alergia;

– Corte profundo;

– Engasgo;

– Convulsões;

– Intoxicação;

– Envenenamento.

Visto isso, é importante considerar estar preparado para agir nessas situações, pois elas fazem uma grande diferença na hora de salvar a vida do seu pet.

Primeiros socorros para cães e gatos

Primeiros socorros para cães e gatos: como fazer

Existem certos procedimentos que podem ser feitos nos primeiros socorros para cães e gatos, mas vale ressaltar que é necessário ir ao médico-veterinário.

Isso porque, a prestação de primeiros socorros envolve procedimentos primários, ou seja, o objetivo naquele momento é preservar a condição de vida do animal até a chegada de um médico.

A seguir, confira algumas ações de primeiros socorros para cães e gatos e em diferentes situações.

Atropelamento e fraturas:

Esse tipo de ocorrência é muito comum, e, de preferência, antes de qualquer ação você precisa bloquear o trânsito na via para prestar os primeiros socorros ao animal de maneira segura.

Ao se aproximar do pet tome cuidado, uma vez que ele estará com dor e possivelmente mais agressivo.

Ao retirar o animal da via, pegue-o com delicadeza e não faça movimentos bruscos, pois podem agravar possíveis ferimentos e fraturas, especialmente na coluna.

Em caso de primeiros socorros com fratura exposta, estanque o sangramento com um pano limpo, pressionando contra a ferida, mas em hipóteses alguma tente voltar um osso para o lugar.

Logo em seguida, leve o animal para o hospital veterinário mais próximo para ele receber o atendimento médico necessário.

Em alguns casos, mesmo que o pet não aparente estar machucado, é fundamental levá-lo ao médico-veterinário, pois o profissional precisa descartar qualquer dano aos órgãos internos.

Engasgo

Em situações de engasgo, o bloqueio da traqueia é o maior perigo, isso porque, o animal pode ficar sem ar, ou seja, essa situação necessita de agilidade.

Em animais de porte pequeno, deve-se pegá-lo pelas patas traseiras, suspendendo-o e chacoalhando com delicadeza, o intuito é que o objeto seja expelido.

Porém, se o animal for de porte médio ou grande, levante somente as patas traseiras, de modo que as dianteiras permaneçam no chão, logo, chacoalhe de maneira gentil até que o objeto saia. Se o método acima não funcionar, realize a técnica Heimlicht, a mesma utilizada em seres humanos.

Para realizá-la, tire a coleira do animal e o segure pela cintura, garanta que ele esteja de costas para você.

Coloque seus punhos logo abaixo das costelas do pet e faça de três a cinco pressões firmes no local.

Depois de reestabelecer o animal, leve-o ao médico-veterinário para garantir que não houve nenhum dano interno.

Convulsões

As convulsões são caracterizadas pela contratura involuntária da musculatura. Em alguns casos ela vem acompanhada de salivação, olhar fixo e desnorteado, falta de controle de esfíncter e perda de consciência.

Neste caso, não há muito a ser feito. Apenas garanta que o seu pet esteja confortável durante a ocorrência, para isso, retire objetos que possam machucá-lo e segure firme sua cabeça para evitar choques contra o chão.

Após a convulsão, leve-o ao médico-veterinário para identificar a origem do problema.

Intoxicação ou envenenamento

Geralmente os casos de intoxicação e envenenamento se desenvolvem quando o animal come algo que não deveria, ou seja, existe uma substância tóxica em seu organismo.

Assim como alguns alimentos podem causar a intoxicação, algumas plantas, medicamentos, produtos químicos e venenos também podem.

Ao ver o seu pet em um quadro de intoxicação ou envenenamento, tente identificar o que provocou a ocorrência.

Pois a identificação do agente causador facilitará para que o tratamento seja ágil e adequado. Em especial para os casos de envenenamento.

Portanto, leve rapidamente o animal para um hospital veterinário.

Induzir o animal ao vômito

Não é permitido que você tente induzir o vômito do animal. Isso porque, dependendo da substância que o pet ingeriu, o vômito não pode ser provocado.

De acordo com a Dra. Aline Oliveira: “Quando seu pet é induzido a vomitar, dependendo da substância ingerida, pode causar queimaduras no esôfago e, se o animal não estiver consciente, ele pode sugar o conteúdo do vômito para as vias respiratórias.”

A Dra. Aline Oliveira é médica-veterinária e atende na clínica parceira da Cobasi Villa-Lobos. Você pode agendar uma consulta com a Drª Aline, Clique aqui.

Por este motivo, é extremamente importante que você saiba qual foi o agente responsável.  Pois em casos de substâncias ácidas, baterias, pilhas e soda caustica, induzir o vômito não é permitido.

Portanto, deixe esse procedimento nas mãos do médico-veterinário.

Corte profundo

Neste caso, os primeiros socorros para cães e gatos é fundamental. Um corte profundo pode desencadear uma alta perda de sangue, e isso é extremamente perigoso ao animal.

Portanto, pegue um pano limpo e pressione o ferimento para que o sangramento seja estancado até que você chegue ao hospital veterinário.

Queimadura

As queimaduras são altamente dolorosas aos seres humanos, e com os bichinhos não é diferente. Sendo assim, quando isso acontecer, tente acalmar o seu pet para que ele não se machuque mais ainda.

Para amenizar a dor, lave o ferimento com água fria corrente por no mínimo 10 minutos. Isso ajuda a resfriar o local e a diminuir a dor.

“Animais de pequeno porte ou filhotes, possuem a pele mais sensível, e as queimaduras de primeiro grau tendem a ser mais profundas e dolorosas, por essa razão, eles devem ser encaminhados a uma unidade de atendimento veterinário.”, explica a Dra. Aline Oliveira.

Alergia

Ao ver um animal se coçando muito é comum que a maioria das pessoas pensem que são pulgas. No entanto, a coceira insistente pode sinalizar uma alergia.

A alergia em cães e gatos é uma condição comum na vida dos animais e costuma se desenvolver de forma aguda (pontual) ou crônica (recorrente).

Em alguns casos o pet pode apresentar dificuldades para respirar, coceira intensa, inflamação local, feridas e muita queda de pelo.

Visto isso, ao notar mudanças de hábitos em seu pet, leve-o ao médico-veterinário para avaliar qual é o medicamento correto para a ocasião.

Primeiros socorros para gatos

Ao seguir esse guia essencial para primeiros socorros de cães e gatos, é muito importante que em caso de emergência, os tutores mantenham a calma para tomarem as decisões corretas.

Além disso, é fundamental ter um kit de primeiros socorros portátil, confira como montar o seu.

Kit de primeiros socorros para cães e gatos: itens essenciais

Uma parte importante do processo também está ligada aos itens do kit de primeiros socorros para cães e gatos.

Ter um kit faz total diferença, pois, além de auxiliar na rápida assistência para salvar o animal.

Além disso, ele é composto por alguns materiais que muitas vezes não são encontrados em um kit de primeiros socorros para seres humanos.

A Dra. Aline Oliveira, ressalta que: “Analgésicos receitados ao pet, pomada dermatológica e os itens de curativo, são produtos essenciais de um kit de primeiros socorros para cães e gatos.”

Kit de primeiros socorros para cães e gatos

Itens de um kit de primeiros socorros para cães e gatos: 

-Gaze;

-Termômetro;

-Atadura;

-Esparadrapo;

-Soro fisiológico;

-Tesoura sem ponta;

-Sabonetes antissépticos;

-Bolas de algodão e cotonetes;

-Luvas de látex;

-Pinças para a remoção de ferrões de abelhas;

-Sabão neutro (sem perfume ou corante);

-Seringa sem agulha ou conta-gotas para dar remédio na boca;

-Pomada dermatológica;

-Analgésicos receitados ao pet.

Agora você já sabe todos os procedimentos e itens para ajudar o seu animal de estimação em um momento de emergência. Confira quais ações você não pode realizar ao prestar socorros a um animal em situação de urgência.

Primeiros socorros para cães e gatos: o que não fazer

– Medicar o animal sem orientação de um médico-veterinário;

– Limpar feridas com álcool e desinfetantes;

– Induzir o vomito do animal;

– Remover materiais perfurantes (como vidros, pregos e similares) de qualquer parte do corpo do animal por conta própria;

– Movimentos bruscos em situações de atropelamentos e fraturas;

– Usar água boricada para lavar os olhos. Nos olhos de cães e gatos use apenas soro fisiológico estéril;

– Voltar um osso para o lugar.

Lembre-se sempre que a melhor avaliação e tratamento é após uma visita a um hospital veterinário. E, nas lojas Cobasi você encontra profissionais prontos para atender o seu pet em situação de urgência ou emergência.

Comente com Facebook