Assim como nos seres humanos, o tártaro em cães é um problema bucal muito comum e acontece pelo acúmulo de resto de comida nos dentes do cachorro.

No entanto, é necessário manter a higiene bucal do pet. Pois os dentes precisam estar sempre saudáveis para o cão brincar, comer e roer.

Confira a seguir quais são as causas, tratamentos e tipos de prevenção para manter os dentes do seu cão sempre saudáveis e protegidos dos tártaros.

Dois cachorros da raça Buldogue francês brincando e sem tártaro nos dentes

O que é o tártaro em cães?

O tártaro em cães acontece quando há o acúmulo de resíduos alimentares nos dentes do cachorro. Ou seja, algumas partículas da ração do dia a dia e o petisco para cachorro acabam se juntando entre os dentes.

Além disso, a má higiene bucal é uma das principais responsáveis. No entanto, a formação das placas bacterianas é desenvolvida com o tempo.

Outro ponto é que alguns alimentos podem acelerar o aparecimento de tártaros em cães, e quando não tratados, geram péssimas condições aos dentes dos cachorros, atrapalhando a saúde e bem-estar dos cães.

O que causa tártaro em cachorro?

Como já mencionado acima, uma das principais causas é o acúmulo de resíduos de alimentos nos dentes do cachorro e a má higienização dental.

No entanto, o aparecimento de tártaro pode ser acelerado quando oferecemos alimentos inapropriados aos cães, como doces e outras guloseimas.

Isso porque, esses alimentos têm facilidade para ficarem retidos na arca dentária. E, com isso, podem acelerar o processo de formação das placas bacterianas.

Dito isso, se o cão está com tártaro, o tutor deve levá-lo ao médico-veterinário pois é necessário analisar se há inflamações e perda dentárias, e então aplicar o tratamento correto.

Como saber se meu cachorro está com tártaro?

Um dos primeiros sintomas das placas bacterianas é o mau hálito. Além disso, ao observar os dentes do pet, é possível notar a presença do tártaro. Pois as manchas amareladas ou esverdeadas, ficam próximas à gengiva ou entre os dentes.

Tártaro em cães: Pessoa verificando como está a saúde bucal do cachorro

Como tirar tártaro dos dentes do cachorro

Apesar de ser considerado um procedimento simples, a responsabilidade de remover o tártaro em cachorros é exclusiva de profissionais. Uma vez que, é necessária uma raspagem para limpeza de tártaro cachorro.

Isso porque, exige um manuseio correto das ferramentas necessárias, assim como o uso de anestesia para que seja feito em segurança, pois o procedimento pode machucar o cão se feito com ele em constante movimento.

Entretanto, para que isso aconteça de maneira segura, o procedimento é como uma intervenção cirúrgica.

Ou seja, é aplicada uma anestesia geral por meio de um anestésico inalatório, pois oferece menos risco de complicações a saúde do animal.

A fim de evitar que o seu cão de estimação passe por esse tratamento que por muitas vezes pode ser de muito incomodo ao pet. Confira a seguir as medidas preventivas para evitar tártaro em cães.

Tártaro em cães: cachorro com tártaro em uma avaliação com o médico-veterinário

Medidas preventivas

Manter a escovação em dia é a prevenção mais recomendada para evitar o acúmulo de bactérias.

Além disso, monitore as condições dentais do pet acompanhando sempre a coloração dos dentes, gengiva e língua. Confira a seguir outras dicas para evitar o tártaro em cães:

– Escove os dentes do cachorro todos os dias, ou pelo menos 3x na semana;

– Utilize creme dental indicado para cães;

– Ofereça alimentos de qualidade e permitidos para cães;

– Dê ao cachorro alimentos e produtos específicos que ajudam a evitar o tártaro;

– Faça visitas constantes ao médico-veterinário como medida preventiva.

Pessoa escovando os dentes do cachorro

Riscos do tártaro canino 

O excesso de bactérias acumuladas na boca do animal acarreta doenças sérias como periodontal e à gengivite. Além de causar dor e dificuldade de mastigação quando existe o tártaro avançado em cães.

Quando se pensa nos grandes riscos que o tártaro pode gerar à saúde do animal, o médico-veterinário consultor Pet Anjo, Dr. Daniel Svevo afirma:

“Essas bactérias têm atração por tecido inflamado, ou seja, se o animal tiver alguma inflamação pelo seu corpo, as bactérias que estão na boca caem na corrente sanguínea e se direcionam para essa inflamação podendo agravar ainda mais o caso, por isso é muito importante manter a boca do pet saudável e livre de tártaro.”

Contudo, é importante destacar que, a visita ao médico-veterinário se torna muito importante, seja de maneira preventiva ou para o tratamento.

 

Comente com Facebook