As épocas mais quentes do ano são sinônimo de diversão, passeios e uma série de sensações boas, ao mesmo tempo é sinal de alerta sobre como refrescar o cachorro com calor.

Isso porque, o excesso de calor além de incomodar, pode acabar prejudicando a saúde do animal.

Nessa época é muito comum os quadros de desidratação, queimaduras solares, machucados nas patas e choque térmico. Mas existem muitos cuidados preventivos que ajudam a evitar essas situações.

Em vista disso, e para que os tutores possam saber como identificar o cachorro com calor e refrescá-lo, separamos 16 dicas importantes para garantir um verão confortável, além de manter a saúde e bem-estar dos cães. Confira a seguir.

Cachorro com calor brincando com água

Como saber se o cachorro está com calor?

Para identificar um cachorro com calor basta observar sua linguagem corporal, e ter sempre em mente que nem todos os cães expressam da mesma maneira. É necessário prestar atenção se o seu pet estiver com:

– Salivação excessiva;

– Respiração muito ofegante;

– Falta de apetite;

– Vômitos e diarreias;

– Apatia/prostração;

– Sede excessiva.

Bem como observar os sinais que o animal dá, se torna indispensável garantir que ele não fique desconfortável com o excesso de calor. Saiba como fazer isso.

O que fazer quando um cachorro está com calor?

Entender como refrescar o cachorro com calor vai garantir que o verão do seu amigo de quatro patas seja divertido e saudável.

1. Hidrate seu pet

Mantenha seu cão hidratado durante todo o dia, para isso, ofereça sempre água limpa e fresca. Uma dica é servir água gelada nos dias mais quentes.

Além disso, você também pode oferecer água de coco -especialmente gelada – ou suco de frutas, desde que seja 100% natural. Mas esteja sempre atento a todas as frutas e alimentos que são consideradas tóxicas para cachorros.

Pode dar gelo para cachorro no calor?

De acordo com o médico-veterinário consultor Pet Anjo, Dr. Daniel Svevo:

“Sim, pode dar gelo para cachorros no calor. E inclusive funciona como um grande entretenimento. Além disso, é possível dar cubos de gelo aos cachorros, ou até mesmo congelar frutas, desde que sejam as permitidas, e dar para ele se entreter comendo e destruindo.”

Ou seja, é permitido dar gelo para amenizar o calor do cachorro, no entanto, isso precisa ser feito da maneira correta e sempre com a supervisão do tutor.

Uma vez que o gelo é oferecido por inteiro, sem diluição e deixado livre para o cachorro, pode haver engasgos. Por isso, sempre observe o momento.

Cachorro tomando água fresca

2. Alimentação fresca

Durante o verão o cachorro vai se atrair por alimentos que possam refrescá-lo.  Por isso, a ração úmida é uma opção interessante, assim como as frutas, pois além de serem refrescantes, os cachorros ficarão mais dispostos e bem nutridos.

Cachorro se alimentando no pote de ração

3. Mantenha o banho & Tosa em dia

Cães com excesso de pelo possuem maiores dificuldades no calor, então uma ótima opção para refrescá-los é manter o Banho&Tosa em dia.

Por isso, prefira a ajuda de um profissional especialista em Banho&Tosa para confirmar todas as necessidades do seu cão durante as épocas mais quentes.

Isso porque, o profissional de Banho&Tosa pode te ajudar em decisões importantes. Pois se os pelos do animal são diminuídos em exagero, o cão pode sofrer com as queimaduras solares.

Confira as melhores opções de como refrescar o cachorro com calor com a ajuda de um profissional.

– Pelos no tamanho ideal;

– Água na temperatura correta;

– Jatos de ar na temperatura certa;

– Diminuição dos riscos da proliferação de bactérias e fungos;

– Diminuição de problemas com ectoparasitas, como pulgas;

– Maior facilidade de identificar problemas de pele causados pelo calor.

Cachorro no banho&tosa

4.Cuidado com os períodos mais quentes do dia

Nos dias de muito calor evite passeios nos horários mais quentes do dia. Portanto, não saia entre às 10h e 15h.

E mesmo fora desses períodos, prefira passear com o cachorro em locais sombreados, com muitas árvores e grama, ou seja, lugares que não esquentam tão rapidamente.

Pois os passeios com o cão no asfalto quente podem causar queimaduras na patinha sensível do pet. Além disso, um profissional Dog Walker é uma ótima opção para passeios nos horários permitidos.

Cachorro passeando com a profissional Dog Walker

5. Não exagere nos exercícios com o pet

Assim como tudo na vida, os exercícios são bons, mas sem exageros. Portanto tome cuidado para o pet não se exercitar demais. Além disso, faça pausas frequentes nos exercícios e brincadeiras e o hidrate durante toda a atividade.

6. Use protetor solar para cachorros

“Raças de cor clara e de pelo curto precisam de proteção mais intensa. Atenção especial deve ser dada às áreas da pele não cobertas por pelos. Use um protetor solar específico para pet, que podem eventualmente ser lambidos.”, afirma o Dr. Daniel Svevo.

7. O pet nunca pode ficar sozinho no carro

Sabia que a temperatura dentro de um veículo pode subir até cinco graus em 15 minutos, mesmo com as janelas abertas.

Por isso, nem mesmo no calor, frio ou em qualquer outra ocasião, o pet nunca deve ficar sozinho dentro do carro.

Cachorro dentro do carro com o tutor

8. Jamais deixe o cão de roupinha no verão

Isso atrapalha o sistema de resfriamento do animal, impedindo a troca de calor com o ambiente.

E, os sapatinhos devem ser usados apenas ao ar livre e somente quando o chão estiver quente, de modo que possa evitar o contato direto da pata do cachorro com o chão.

9. Cuidados na praia e em parques

Em parques ou praias que aceitem animais de estimação, garanta um local sombreado, com água fresca disponível e bastante ventilação para ficar.

Caso não tenha esses requisitos, não leve seu pet e deixe-o descansando em local protegido e fresco.

10. Cuidado com piscinas e mar

Nunca deixe o cão sozinho em lugares onde ele possa ter fácil acesso a piscinas ou mar.

Caso queira entrar na água com seu pet, acostume-o lentamente a entrar na água com você. Sempre com supervisão 100% do tempo e, se possível, com uso de “coletes” de flutuação para cães.

cachorro Spaniel anão continental na beira da piscina

11. Preste atenção aos sinais de cansaço e desconforto

Se o cão está ofegante, salivando muito, com dificuldades para respirar, prostrado, não quer andar, comer, beber água, são sinais de alerta!

Ao ver estes sinais de forma mais leve, ofereça um período de descanso na sombra com água fresca para seu pet.

Em casos destes sinais de forma mais grave, leve seu pet o mais rápido possível para uma clínica veterinária mais próxima.

12. Cachorro com calor: Cuidados extras com animais de focinho curto

Lembre-se que animais braquicefálicos, ou seja, que tem focinho curto, como cães das raças Pug, Bulldog e Shih-Tzu, têm predisposição a quadros de hipertermia e choque térmico.

Por isso, eles precisam de cuidado extra, com limitação de exercícios, mais intervalos de descanso, muita hidratação, além de evitarem ao máximo o sol e o calor.

Cachorro pug sentado em um dia de calor

13. Cachorro com calor: Cuidados extras com cães do grupo de risco

Os pets idosos, com sobrepeso, problemas cardíacos ou respiratórios também precisam de prevenção extra.

Por isso, mantenha-os o máximo do tempo em locais com ventilador ou ar-condicionado. Se possível, deixe a pelagem sempre curta durante o verão e ofereça bastante líquido.

Além disso, fique muito atento aos sinais de desconforto e mudanças de comportamento e alimentação. Informe o médico-veterinário de confiança caso note mudanças.

Cachorro Pastor Alemão idoso

14. Cachorro com calor: cuidados em casa

Existem várias opções de enriquecimento ambiental ótimas para o calor, como piscininhas rasas de criança, vasos de plantas grandes e largos, ou baldes rasos e largos cheios de água.

Além disso, nesta época quente é mais comum os cães fiquem próximos das janelas e em varandas. Por isso, garanta a segurança do cachorro.

15. Atenção extra às pulgas e carrapatos

Nessa época quente e úmida as pulgas e carrapatos são muito mais comuns. Mantenha em dia o plano de prevenção para ectoparasitas. Não compre qualquer produto, busque por recomendação do seu médico-veterinário.

16. Utilize ventiladores e ar-condicionado

O uso desses dispositivos pode ser de grande ajuda para cães que vivem em cidades quentes, além disso, o ambiente mais fresco ajudará a protegê-los da hipertermia.

O que é a hipertermia canina?

A hipertermia acontece quando se tem um aumento da temperatura corporal. A temperatura corporal normal de um cachorro fica entre 38,5º C e 39º C.

Quando está próxima de 40º C, é um sinal de que o pet está com hipertermia. Para prevenir a hipertermia, é recomendado os seguintes cuidados acima, principalmente no verão.

Cachorro da raça Zwergspitz parado no sol

Agora que você já sabe como identificar e refrescar o cachorro com calor e ainda garantir um verão divertido e prazeroso, contrate um Dog Walker especialista em cuidados para realizar passeios educativos com o seu cão tomando as medidas necessárias.

Comente com Facebook